”Share ”Share Share    

 

REVISTA V

REVISTA IV

REVISTA III

REVISTA II

REVISTA I

 

REVISTA V(Jan - Jun 2012) (download .PDF)

Janeiro - Junho de 2012

Os alimentos contêm as substâncias básicas para conservar a vida e a saúde, mas a falta de higiene em sua manipulação, armazenagem, preparação e ao servir os convertem em um meio propício para transmitir doenças. O objetivo primordial deste estudo foi avaliar o conhecimento sobre o cuidado e a manipulação dos alimentos entre os consumidores que têm a responsabilidade de sua preparação no lar, assim como a identificação dos riscos aos que estão expostos os alimentos nos lares e que podem ser potenciais causadores intoxicações alimentares.

 

REVISTA IV(Jul - Dez 2011) (download .PDF)

Setembro de 2011

Entre os animais que são causa de acidentes em crianças, além dos cães e gatos, encontram-se os animais silvestres mantidos como animais de companhia ou em exposições, animais sinantrópicos e de produção. Objectivo: caracterizar os pacientes atendidos de emergência por acidentes produzidos por estes animais no Instituto Nacional de Saúde da Criança, no período 1995-2009. Materiais e métodos: a partir das histórias clínicas recolheu-se informação geral dos pacientes, do animal agressor e das lesões. Resultados: registaram-se 142 casos. 62,7% dos pacientes tinha idades compreendias até aos quatro anos de idade, 26,8% idades compreendidas entre quatro e nove anos e 10,6% tinham mais que nove anos. 48,6% eram do sexo masculino e 51,4% do sexo feminino. 73,2% foram atendidos ambulatoriamente e 26,8% requereram hospitalização. 64,8% dos acidentes foram produzidos por animais sinantrópicos, 21,8% por animais silvestres e 13,4% por animas de producção. As localizações anatómicas predominantemente afectadas foram os membros superiores e cara (5,9%), cabeça e pescoço (40,1%). 76,8% dos acidentes fora do tipo único e 23,2% múltiplo. 69,7% das lesões foram superficiais e 30,3% profundas. 78,2% dos casos requereu tratamento médico e 21,8% requereu tratamento cirúrgico. Só 28,2% dos casos receberam vacina anti-rábica. 23,9% dos acidentados tiveram sequelas estéticas (cara), 69,1% no corpo e 7,0% em ambos os lugares. Conclusões: a supervisão dos pais e os programas educativos são necessários para prevenir e diminuir a frequência dos acidentes na população.

 

REVISTA III (Jan - Jun 2011) (download .PDF)

Agosto de 2011

O objetivo deste estudo foi identificar e quantificar as espécies de parasitas que apresentam as mascotes caninas e felinas de crianças em idade escolar em três escolas estatais da zona norte de Lima, Peru. Para isso, recolheram-se amostras de fezes de 131 cães e 49 gatos de ambos sexos e diferentes idades. As amostras foram analisadas mediante a técnica da sedimentação espontânea em tubo (TSET) e exame direto. Além disso, recolheu-se informação sobre práticas de potencial risco na relação dos crianças - animal de companhia através de um estudo epidemiológico. Em cães, 20,6% foram positivos a Toxocara canis, 7,6% a Giardia sp., 4,6% a Diphylidium caninum e 0,8% pa Diphyllobothrium pacificum. Em gatos, reportaram-se 14,3% de positivos a Toxocara canis e 2,0% a Ancylostoma sp. No que diz respeito à relação criança - animal de companhia, de 124 entrevistados, 79,0% das crianças beijavam o seu animal e/ ou deixavam receber lambidelas, 82,3% partilhavam o alimento com os cães e 88,7% não desparasitava periodicamente os animais. Para além disso, 28,2% dos inquiridos mencionaram que os animais dormiam na mesma habitação da criança, 66.9% referiu que o animal defecava dentro da casa e 29.0% observaram vermes nas fezes. Devido à importância zoonótica dos parasitas encontrados, considera-se necessário estabelecer um programa educativo-sanitário com a finalidade de prevenir a possibilidade de infecção com parasitas zoonóticos nesta população.

 

REVISTA II (Jul-Dez 2010) (download .PDF)

Junho de 2011

Con satisfacción, presentamos el segundo número de Una Salud, Revista Sapuvet de Salud Pública, del proyecto Sapuvetnet III “Contribuyendo a los objetivos del milenio a través del concepto de una salud”. El número 2 de la Revista tiene contribuciones de investigadores de España, Colombia y Perú sobre diversos temas que abarcan: revisión del impacto del conflicto social en Colombia en la salud pública veterinaria, aportes sobre investigación en riesgos ocupacionales en trabajadores del sector de la fauna silvestre, revisión sobre contaminación por antibióticos y resistencia antimicrobiana, aproximación conceptual a la interfaz humano-animal-ecosistema, aportes sobre los animales de laboratorio en el contexto del diagnóstico de las enfermedades infecciosas, y, finalmente, una importante contribución experta sobre el análisis de riesgos como propuesta para la prevención de enfermedades ante el movimiento de poblaciones.

 

REVISTA I (Jan - Jun 2010) (download .PDF)

Abril de 2011

Una Salud. Revista Sapuvet de Salud Pública es la publicación oficial del Proyecto Sapuvetnet III: contribuyendo al logro de los objetivos del milenio mediante el concepto de una salud”. Este proyecto tiene como objetivo general contribuir al desarrollo de la educación superior en el campo de la Salud Pública Veterinaria (SPV) por medio de la cooperación entre la Unión Europea (UE) y América Latina (AL), modernizando el currículum de formación en el ámbito universitario, creando sinergias con otros saberes necesarios para la Salud Pública (SP) propios de otras profesiones y haciendo disponible el material desarrollado a todos los que estén interesados en el tema.

 

Webdesign: Patricia Baltasar e Cristina Brázio |2010|